B E T A

Sem categoria

Histórias da Academia (que está longe de ser perfeita…)

É minha gente, duas semanas se passaram desde que eu caí da cama e fui parar na academia, lembram?
Nem pensem que foi fácil, mas o mais difícil é realmente começar, depois vai… Eu optei por ir cedinho, prefiro acordar cedo do que chegar em casa naquele estado de calamidade e ainda ter que ir levantar peso. NOWAY AT ALL! Depois que o corpo acostuma, levantar cedo deixa de ser um drama, depois que as dores musculares te deixam ser uma pessoa normal novamente, ir pra academia deixa de ser um drama. O drama tem sido outro, eu estou sofrendo bulling na academia! kkkkkkk! Juro! E não é de rir!
O drama todo começou na avaliação quando o fisioterapeuta detectou que eu sou magra mas cheia de gordura, flacidez, fraqueza…. Tipo saí de lá quase direto pro hospital pra saber quanto tempo de vida ainda me restava, devido ao diagnóstico tão animador. Mas como eu já mencionei aqui que eu tenho objetivos, não me deixei abalar (só um pouquinho, vai!) e lá estava eu de novo no dia seguinte pra fazer a tal da ficha com o instrutor. E o drama foi total. O cara foi um indelicado, antipático e a única coisa que sabia fazer era: NOSSA! Como vc é pequena. GENTE! Como vc é fraquinha. SERÁ que vc consegue com um peso de 3 kilos? Chorei por dentro, me senti a franga da academia, vontade de sair correndo pro advogado, processar o cara, o lugar, ganhar uma grana e gastar tudo numa clínica de estética… Mas logo me lembrei dos tais objetivos e continuei firme, ainda que realmente mole, porque magra e mole é um HORROR! Pra fazer a ficha completa eu ia ter que ficar umas 2 horas por dia na academia, por isso o amigo dividiu em duas, pra eu fazer a parte A num dia e a parte B no outro.
Passados 2 dias de instruções, chegou a hora de fazer tudo sozinha. Foi um misto de alívio e desespero. Alívio por não ter que escutar tanto INCENTIVO vindo do instrutor e desespero por não conseguir decorar o que é um tríceps pulley e ter que perguntar toda hora… Respira fundo.

Mas nem tudo estava perdido e a minha revanche veio no sábado seguinte, quando eu acordei cedinho, me vesti e fui animada malhar. Sabia que ELE não estaria lá e me senti a Priscila da academia. Não queria saber de peso nenhum, fui pra esteira, caminhei 5 minutos, enchi o peito, aumentei a velocidade e saí correndo… pela primeira vez na vida eu corri de verdade e corria e corria e corria até que o cansaço chegou, eu desliguei a esteira e fui embora toda saltitante e suada!

Por tudo isso pessoal, as histórias da academia virão sem fotos, todos já me olham de canto de olho naquele lugar, imaginem se eu ainda peço pra alguém me fotografar fazendo careta pra levantar 1 kilinho? Vou sofrer bulling justificável! Mas logo logo essa situação vai mudar, eu vou arrumar um personal trainner pra chamar de meu e ainda vou obrigar a pessoa a me fotografar e me deixar linda e sarada. Aí eu quero ver alguém rir da gostosona aqui!!!
Agora eu vou dormir porque o alarme vai gritar as 6!

Sem categoria

O melhor lugar do mundo: É AQUI!

Estou falando de Campo Belo. A cidade mais legal de todas, afinal é a minha. Como toda cidade do interior que se preze, tem uma praça, mas eu não estou falando de uma pracinha xexelenta qualquer, estou falando da praça mais linda e encantadora de todas. Tem fonte luminosa, tem banquinhos pra sentar e prosear, tem sombra fresquinha, tem sol pros dias frios, tem igrejas que se complementam por um corredor gigante….. e tem muita história. Exatamente por não viver essas situações com tanta frequência, uma caminhadinha tranquila e aparentemente boba acaba se tornando um acontecimento super especial. São os olhos da nossa alma e do nosso coração que nos enchem de felicidade! E estar perto de toda nossa história, saber que tudo começou ali, é mais que bom. #robertinhamelancólica.

Sei que é muito sentimento pessoal, mas quando se tem thirty-something os hormônios ficam completamente loucos e a pessoa fica chorosa demais. Mas vamos ao brinde com pipocas pra terminar esse momento back to the roots com um pouco do glamour regional! Love CB!!

Sem categoria

O glamour da profissão

Pra quem acha que o mundo da moda se resume em ficar horas na internet blogueando, pesquisando, criando… Eu digo que não! O business é punk no sentido mais literal da palavra. É necessário amar muito a profissão pra segurar o tranco. Me desculpem o desabafo mas hoje foi sem dúvida um dos dias mais difíceis que já enfrentamos. Esse mundinho é muito cheio de ego, vaidades, falsas celebridades e lidar com a inveja alheia é algo um tanto quanto complicado.             

O cansaço faz parte, varrer o chão faz parte, inventar moda também faz parte mas o que não vale aqui é cuidar da vida do outro. Me deixa!

Sem categoria

Fui e adorei!

Não minha gente, eu não peguei a ponte aérea BH-ENGLAND e não fui parar no Glastonbury Festival (mesmo porque esse ano nem tem, né?) mas tirei essa foto inspiradora aqui mesmo na nossa terrinha e foi no Savassi Festival. Confesso que eu nem estava muito animada pra ir, mas não tive muita chance de me manifestar e também confesso que foi melhor assim. O que acontece é que muitas vezes temos idéias pré-concebidas sobre alguma coisa e criamos uma resistência que é só nossa. Eu adoro coisinhas, lugares, people alternativinhos, sempre gostei (sou publicitária, alguém sabia?) mas de repente me vejo com preguiça de algumas coisas. E nesse domingo que fui praticamente arrastada eu me diverti horrores. Sério, que evento bacana, que estrutura (fiz até xixi), que organização… Não desmerecendo BH mas me senti num evento que fui no Hide Park alguns anos atrás… Eu gostei de verdade, e só me arrependo de não ter chegado mais cedo pra pegar um lugarzinho desses e ficar toda esticadona nessa grama fake!

Deu pra acreditar que foi realmente bom? E o esmalte da semana, gostaram?

Sem categoria

Caí da cama

Esse relógio pequeno fica bem do lado da minha casa grudado numa agência de turismo vizinha. Hoje ele serviu pra mostrar o tamanho da minha força de vontade. Eu tinha um compromisso na academia que fica do outro lado da minha rua!! PARABÉNS PRA MIM! Mas antes de comer o bolo devo dizer que foi só uma avaliação, o pior (ou melhor) ainda está por vir!
Quero dividir o resultado aqui com vocês, vou pedir uma cópia pro cara lá e daí vamos acompanhando as evoluções por aqui. Segunda tem que fazer a ficha e começar a puxar ferro. Não é fácil chegar aos 15 anos anos minha gente….
Wish me luck!

Sem categoria

Flaminguista

Até uns 2 ou 3 anos atrás eu nunca tinha pretsado muito atenção nos Flamingos e nem sequer me lembrava que eles existiam… Negligência pura, admito!
Eu sempre adorei adornos no pescoço, de todos os acessórios que mais gosto, os colares e os de cabelo ganham disparado e foi aí que um dia vi esse bando de flaminguinhos dependurados num cordão e não resisti, levei pra casa. Eu gosto mais de ter esse colar do que de usá-lo realmente, amo a delicadeza e o contraste do prata com o dourado. Algum tempo se passou e eis que me deparo novamente com essa ave maravilhosa de pescoço comprido… Era uma tshirt podríssima, linda, e bem grande no peito dois flamingos formando um coração! Preciso falar que morri 3 vezes??? Flamingos? Coração? Eu? 
Não quis nem saber, fomos todos juntos como uma grande família… E olha que teve gente de olho comprido em cima de mim (ou melhor, dos bichinhos!) durante o dia todo. Já vou logo avisando que não dou, não vendo e posso até emprestar mas com uma dorzinha…

Sem categoria

Sim, eu tenho um moletom.

Aliás, um não, alguns e digo que não os distingo. Fico em casa de preguiça, saio, faço caminhada, monto produções e durmo. Essa semana fez bastante frio aqui em BH e num belo dia quando abri meu guarda-roupas, nada me pareceu mais apropriado do que as minhas meias de lã e o meu moletom preferido.

Pra não correr o riso de ficar parecendo aquelas adolescentes gringas eu usei o vestidinho de verão mais colorido e curtinho e fui trabalhar bem quentinha e feliz. Não passei frio e estava mega confortável!

O bem estar era tanto que eu até animei a fazer umas ondas no cabelão e gostei bastante do resultado!

Sem categoria

Penteado do dia que durou até a noite.

Intacto! E pra quem gosta de inventar, o truque é o seguinte: Deixe pra fazer esse coque num dia que o cabelo não esteja tão limpo, vai ser mais fácil colocar pra cima. Faça um rabo de cavalo na altura que quiser, torça esse rabo (que feio isso!) e vá prendendo aos poucos com grampos. Um pouco de habilidade é bom… No meu caso que tenho a franja curta (graças a um surto psicótico) vale jogar um milhão de spray pra manter todos os fiozinhos no lugar e ainda garantir que o coque dure por hooooooooras a fio.

Ô Dona, cê tá tirando essas fotos é pra revista? Posso tirar uma cocê? kkkkkk!              

Pode!!!