Trabalhar com moda: O passo a passo definitivo para entrar na área

By

Eu dou aulas para cursos de moda, atendo clientes de Consultoria que atuam em segmentos de moda, converso com pessoas interessadas em fazer transição de carreira para trabalhar com moda e, em todos esses cenários, percebo que existem várias questões ainda obscuras; por isso resolvi escrever esse post. Eu passei por um longo trajeto até conseguir trabalhar com moda, também vi muitas pessoas e marcas atuando.

Espero ajudar a quem quiser trabalhar com moda, a entrar nesse mercado que desperta tanto fascínio…

O que é moda, afinal?

Antes de mais nada, é preciso entender do que estamos tratando, na base mesmo, traçar um caminho sólido. Não existe uma definição única para o significado da palavra “moda”, mas qualquer pesquisa rápida nos leva para os mesmos lugares. A palavra moda vem do latim, modo, maneira, são hábitos e costumes. É a maneira de fazer uma ligação entre a roupa/vestuário e determinado período histórico. Por isso se diz que tal coisa “está na moda”, quando uma grande parte de pessoas está consumindo e falando sobre, ou “está fora de moda”, quando caiu em desuso. Entender a moda como modos é relativamente fácil, devido ao seu raciocínio de massa, mas pensando de forma individual, eu sempre digo que moda é comunicação. Os hábitos e costumes de uma pessoa dizem muito sobre ela, a roupa que escolhemos vestir está transmitindo mensagens, quer a gente queira, ou não. Assim sendo, é possível acompanhar e seguir a moda de massa, ou criar a sua própria moda. Moda é o seu discurso, o seu ato político.

Trabalhar com moda não é só roupa

A maioria das vezes quando pergunto, seja para os meus alunos ou clientes interessados na área, o porquê de quererem trabalhar com moda, a resposta é quase sempre a mesma: “Porque eu gosto de roupa”.  Eu mesma já dei essa resposta inúmeras vezes. Mas escolher combinações criativas para vestir, ou ficar horas admirando imagens de produções incríveis na internet, por si só, não é o suficiente. Não que “o ato de vestir” não tenha valor, mas se estamos falando de um conceito discursivo de moda, é importante entender o porquê você gosta de roupa, ou desenhar roupas, vender, estampar, criar tramas e texturas… O glamour (inexistente) da profissão passa justamente por aí, quando a maioria dos próprios interessados em trabalhar com moda, ainda não entenderam o seu propósito pessoal dentro da profissão, e seguem disseminando um discurso sem relevância, o que faz com que a população acredite que trabalhar com moda é abraçar uma carreira de futilidades, sendo que não é. Trabalhar com moda é fazer parte da narrativa do outro, seja com peças para o vestuário, ornamentos, através de formas, cores, texturas, e isso tem um enorme valor.

Aproprie-se da sua história

É sempre mais fácil e verdadeiro, isso para qualquer área, quando se toma a própria história como um guia, vasculhando o próprio passado. No meu caso, eu tive uma avó costureira, passava horas e horas na sala de costura com ela, observando o seu trato com os clientes, com os tecidos, fazendo roupas para as minhas bonecas. Eu nunca aprendi a costurar, mas foi ali que eu aprendi sobre cuidado, sobre o fazer a mão, sobre a moda individual de cada um, que era o que a minha avó fazia. Meus tios vendiam tecido e minha mãe teve uma loja de roupas por muitos anos, o que contribuiu muito para a formação das minhas percepções dentro desse universo, as quais trago comigo até hoje. Até eu entender isso, minha resposta para trabalhar com moda também era porque eu gostava de roupa. Quando abri uma empresa para vender roupas e me vi diante de uma cadeia produtiva enorme, um sistema burocrático difícil, muitas pessoas com perfis diversos de personalidade para administrar e mais uma infinidade de demandas, foi quando eu me apropriei da minha história verdadeiramente. Se eu tivesse entendido isso antes das dificuldades surgirem, teria sido muito mais fácil, não menos trabalhoso, mas, mais leve com certeza.

Um universo cheio de possibilidades

A moda é um universo cheio de possibilidades, desconhecido de muita gente, é por isso que fazer uma busca criteriosa de valores e atuações é importante pra conseguir satisfação dentro do mercado. Nenhum curso em lugar nenhum do mundo vai te oferecer o pacote todo de uma vez. O que você mais gosta de fazer? O que você faz por talento? No que você tem mais conhecimento? Quantas horas você está disposta a trabalhar? Você gosta, tem facilidade com pessoas? Você prefere trabalhar sozinha de casa? Você quer trabalhar fazendo parte de uma equipe? Você tem o desejo de ter o próprio negócio? Essas são apenas algumas poucas perguntas que, quem quer trabalhar com moda, deverá responder, porque é a transparência no processo que facilita o caminho. Pra quem gosta de fazer roupa, o caminho será um, pra quem gosta de vender roupas, o caminho será outro, assim como será diferente pra quem gostar de escrever e falar sobre moda, ou de desenhar estampas, produzir imagens e modelos para desfiles e editoriais, fotografar, descobrir tendências e comportamentos, criar identidade de estilo para marcas e pessoas, pesquisar sobre a história da moda, ensinar conceitos relacionados à moda, produzir conteúdo digital de moda para marcas, promover marcas de moda, enfim, o campo é realmente vasto. Descubra qual é o seu viés, pesquise sobre ele e faça cursos, estude muito, esse é o caminho.

 Entender o mercado é preciso

Desde que eu entrei profissionalmente para o mercado de trabalho tenho percebido muitas alterações. As coisas estão mudando e evoluindo o tempo todo, isso é um fato, mas a revolução da informação devido à evolução da tecnologia, têm feito cenários e mercados virarem de ponta cabeça, ou seja, ninguém está sabendo lidar, está todo mundo aprendendo ao mesmo tempo. Como a moda é uma área de muita reflexão, observação e imagem, acompanhar as nuances do mercado é primordial, entender de ferramentas de tecnologia e de imagem – pelo menos um pouco – é essencial, saber comunicar-se é crucial, muito disso por causa da internet e das inúmeras possibilidades que ela nos trás. Como a informação passou a chegar muito rápido, a moda se tornou muito rápida também (vide as fast fashion) e assim se manteve até que novos aplicativos foram surgindo e forçando o mercado a se adequar. Hoje, o que percebo, é que existe sim (sempre vai existir) a vertente do consumo de massa, mas uma grande parcela da população está saturada dessa velocidade de informação e, por isso, o movimento reverso está acontecendo; percebe-se uma crescente valorização do que é feito à mão, autoral, de forma consciente, verdadeira.

Criatividade sempre

Quando eu falo de criatividade, não estou falando sobre criar algo que não exista ainda, o que também pode ser feito, se este for o seu caso, mas o meu ponto aqui é trabalhar caminhos e formatos alternativos, oferecer um novo olhar para algo datado. Qualquer mercado hoje em dia já está saturado, tem muita gente boa fazendo trabalhos incríveis. Trabalhar com moda é desbravar um caminho tortuoso, onde suas habilidades natas e sua capacidade criativa perante o negócio poderá ser muito mais valorizada do que o curso que você concluiu. Todo mundo tem acesso a tudo, mesmo que seja através de uma tela, qualquer informação encontra-se no segundo de um click, mostrar o seu trabalho de forma a conquistar o olhar e a atenção do outro é um grande desafio. Exercite a sua criatividade em todos os aspectos, na moda, principalmente, a área certamente tem espaço para profissionais que conseguem se comunicar com sentido e clareza.

Sigo aprendendo muito, o tempo todo, e sinto um prazer enorme de compartilhar o que aprendi e vivencio diariamente com os meus alunos e clientes. Se você tiver alguma dúvida ou outro ponto de vista, compartilhe também, será muito proveitoso.

……….

Sobre Carreira e Criatividade, aqui!
O que é Proposta de Valor e como criar uma para o seu negócio, aqui!

Tags:


,

julho 10, 2019 7:00 am

Comentários

0

Você também pode gostar....

Comentários

0

Posts que você pode gostar